A GolSat agora é Golfleet:

feita de tecnologia, pessoas e propósito.

20 junho, 2022por golfleet
Tempo de leitura: 6 minutos

TCO & ROI: duas siglas que fazem a diferença na gestão de frotas

Entenda como indicadores de TCO e ROI são fundamentais para um bom desempenho da frota e aprenda como fazer o cálculo deles no seu planejamento estratégico.

TCO & ROI: siglas que fazem a diferença na gestão de frotas | Golfleet

“Se você não pode medir, não pode gerenciar”, já dizia o pai da administração moderna, Peter Drucker. Não é à toa que bons gestores atuam de forma estratégica, sempre buscando por dados que ajudem a melhorar o potencial dos serviços prestados.

Esses indicadores levam a decisões mais precisas em compras e investimentos, visibilidade de custos ocultos, planejamento financeiro e orçamento sem erros.

Mas são tantas siglas, tantos dados… Afinal, por onde começar?

Para te ajudar nessa tarefa, vamos mostrar na prática como o Custo Total da Propriedade (TCO) e o Retorno Sobre Investimento (ROI) são importantes para uma gestão de frotas eficiente.

Boa leitura!

Qual a relação entre gestão de frotas e indicadores?
O que significa TCO?
Qual a importância do ROI?
Como calcular corretamente o TCO?

Qual a relação entre gestão de frotas e indicadores?

TCO & ROI: siglas que fazem a diferença na gestão de frotas | Golfleet

A gestão de frotas envolve conhecer e entender melhor todos os gastos, assim como propor mudanças para economizar e lucrar mais dentro do seu segmento. Trata-se de um processo contínuo que deve ser feito com atenção.

Independente do porte da sua empresa ou do número de veículos e funcionários, a aquisição de um serviço ou ferramenta nova deve ser avaliada com cuidado.

Leia mais: As maiores tendências de 2022 para o gerenciamento de frotas

Optar por veículos mais econômicos, implementar a telemetria ou investir em cartões de combustível podem parecer, a princípio, um custo alto.

Mas você já parou para pensar nos benefícios que acompanham a adoção desses recursos?

Ao investir na compra de um veículo novo, o valor não pode ser o único fator no momento da sua decisão.

Vamos supor que você encontre um modelo com preço mais atrativo. Deve-se levar em consideração os gastos com combustível, seguro e manutenção, entre outros.

O que parecia ser vantajoso no princípio pode sair caro para o seu bolso.

Por isso, você começa a avaliar outras opções e repensar sua decisão. Estudando um pouco mais, você descobre que em menos de um ano haveria uma redução drástica nos custos operacionais do veículo.

Um software de gestão, além de fornecer dados precisos para você economizar em momentos como esse, vai livrar sua equipe dos processos manuais que consomem tanto tempo e energia.

Vale a pena o investimento, não é?

Com a adoção desses recursos, os gestores podem contar com KPI’s que são extremamente importantes para uma operação eficiente e calcular o Custo Total da Propriedade, por exemplo.

O que significa TCO?

TCO & ROI: siglas que fazem a diferença na gestão de frotas | Golfleet

O Custo Total da Propriedade (TCO) de um produto é a métrica utilizada para identificar todos os gastos que estão inseridos numa determinada oferta.

Ele é um dos principais indicadores-chave para uma gestão de frotas.

Para um planejamento estratégico do gerenciamento de frotas não basta apenas levar em consideração os custos diretos de uma compra, é necessário também compreender os custos indiretos e ocultos da operação.

Esse é um dos inúmeros benefícios do TCO. Ele não avalia apenas o custo de uma aquisição, mas também as despesas com a manutenção necessária para a rodagem dos veículos.

A visão ampla desses valores auxilia não apenas na redução de custos, como também na dimensão das despesas e rendimento do seu negócio.

Um gestor de frotas que pode contar com dados precisos para planejar a operação de sua frota tem melhores resultados.

A importância desse cálculo não está apenas nas informações fornecidas, como também na possibilidade de avaliar se um investimento está trazendo retornos positivos para sua frota ou se um determinado produto ou serviço é realmente viável.

Além disso, o TCO não contém dados superficiais. Nele estão contidos indicadores que muitas vezes passam despercebidos pela sua empresa.

Quando você compra um veículo para sua frota, o preço é apenas um índice do custo total.

Se o gestor tem esse estudo detalhado sobre a compra, os gastos futuros e os custos ocultos como taxas de impostos estaduais, ele sabe exatamente o que esperar do investimento que está fazendo.

Fazer esse cálculo pode ser mais simples do que você imagina. Para simplificar essa tarefa, o ideal é definir 5 indicadores iniciais:

  • Quilometragem rodada por mês e por ano;
  • Custo do quilômetro rodado por veículo;
  • Tipo de veículo para cada operação;
  • Região de operação;
  • Retorno sobre investimento (ROI).

O gestor de frotas que está atento ao TCO otimiza o trabalho de toda a equipe, desde os motoristas até os fornecedores. A partir disso, é possível elaborar ações precisas que visem a redução de custos e ganho de eficiência.

Qual a importância do ROI?

TCO & ROI: siglas que fazem a diferença na gestão de frotas | Golfleet

Nas frotas de veículos o TCO é composto por itens como:

  • Parcela de faturamento;
  • Custos de pneus;
  • Manutenções corretivas e preventivas;
  • Combustível;
  • Sistema de gestão;
  • Multas;
  • Documentos;
  • Seguro;
  • Emplacamento e licenciamento;
  • Juros de financiamento;
  • Depreciação do carro.

Tudo isso é necessário para garantir as condições operacionais do veículo.

Mas o cálculo do TCO não leva em consideração os benefícios gerados pelo produto, por exemplo.

Por isso, os gestores precisam analisar outro indicador importante para a gestão de frotas: o ROI.

Leia mais: Passo a passo para utilizar KPIs na gestão de frotas leves e como utilizar indicadores para verificar o ROI

O ROI é um indicador muito eficaz para gestão de frotas e um poderoso aliado para mensurar todo processo que demanda investimentos de tempo, dinheiro ou recursos humanos.

O cálculo leva em consideração o retorno de vendas, a melhora da capacidade operacional, segurança, entre outros benefícios adquiridos com o investimento. Basta subtrair o custo da receita gerada e dividir o resultado também pelo custo.

Apesar do cálculo ser simples, é necessário identificar todas as variáveis que podem ser classificadas como um custo de investimento de negócio.

Confira um exemplo mais prático.

Vamos supor que você adquiriu um sistema de gestão de frotas e conseguiu reduzir os custos de combustível da sua frota, o cálculo seria:

ROI = [valor de lucro] – [valor do investimento] / [valor do investimento]

Ou seja, o cálculo do ROI é primordial para otimizar a gestão de frotas e potencializar o desempenho da sua empresa.

Ele pode ser utilizado na compra e manutenção de veículos, treinamento e capacitação, aquisição de ferramentas e inovações como um sistema de gestão.

Leia também: Tudo sobre videotelemetria: o que é, quais seus benefícios e como funciona em sua gestão de frotas

É importante ressaltar que um TCO mais baixo não significa um ROI mais alto. Os dois não podem ser considerados inversamente proporcionais porque, às vezes, o barato pode sair caro.

Afinal, se você comprar um carro de menor valor, pode ser que ele acabe saindo caro pelo alto custo de manutenção e, assim, não terá um bom retorno.

Como calcular corretamente o TCO?

TCO & ROI: siglas que fazem a diferença na gestão de frotas | Golfleet

Se você chegou até aqui, certamente entendeu a importância de TCO e ROI para o seu planejamento estratégico.

Mas como fazer esse cálculo?

De maneira geral, ele é composto pelo custo de aquisição, custos de manutenção, utilização e depreciação:

  • Valor de compra do veículo

Representa o total investido para a aquisição ou, em alguns casos, o valor pago mensalmente nas parcelas pelo financiamento.

  • Despesas de utilização

São os custos relacionados à combustíveis, pedágios e lavagens para o uso do veículo no dia a dia na empresa.

  • Custos de manutenção

São os gastos para prevenção e correção necessários para garantir a vida útil e a disponibilidade dos veículos.

  • Depreciação

Implica a perda de valor de um bem da sua empresa pelo uso ou pelo tempo.

Agora que você entendeu melhor o que significa cada variável envolvida nesse cálculo, confira a equação:

TCO = [valor de compra do veículo] + [despesas de utilização] + [custos de manutenção] – [valor de revenda do veículo]

Sim, o assunto é complexo. É preciso muita atenção e muito estudo para atuar de forma estratégica e apresentar bons resultados para a frota.

O Programa de Gestão de Frotas (PGF), por exemplo, tem um módulo completo de conteúdo especializado e vários exercícios para você entender na prática como essas siglas funcionam.

No entanto, o uso de planilhas para esses cálculos é muito arriscado, dada a sua natureza complexa, quantidade de itens de custo envolvidos e volumes de transações que são realizadas.

Mensurar esses indicadores é extremamente importante, mas investir em soluções para fortalecer o seu gerenciamento é tão importante quanto.

Nesse sentido, um software de gestão de frotas é um grande aliado do gestor nesse momento. Uma vez que ele registra todos os custos, categoriza, avalia a quilometragem percorrida e outros indicadores que auxiliam no cálculo do TCO.

Confira esse conteúdo que nós preparamos para você descobrir como essas ferramentas podem potencializar os resultados da sua empresa:

compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp

golfleet

Ao informar meus dados eu concordo com a Política de Privacidade e Termos de Uso da Golfleet
Ao informar meus dados eu concordo com a Política de Privacidade e Termos de Uso da Golfleet

Suas informações foram enviadas com sucesso. Em breve nossa equipe entrará em contato.